Após críticas, Ivete Sangalo diz que Bolsonaro nunca a representou

No post, a cantora diz que a questão será resolvida nas próximas eleições pelo poder do voto

Neste segunda (21), Ivete foi criticada por se isentar ao lamentar as 500 mil vidas perdidas pela Covid-19.
Neste segunda (21), Ivete foi criticada por se isentar ao lamentar as 500 mil vidas perdidas pela Covid-19. - Shutterstock

por Caroline Ferreira
Publicado em 22/06/2021 às 14:23
Atualizado às 14:23

COMPARTILHEFacebook Famosos e CelebridadesPinterest Famosos e Celebridades

Após ter sido criticada nas redes sociais por se isentar politicamente ao lamentar as 500 mil vidas perdidas pela Covid-19, Ivete Sangalo aproveitou para fez um novo pronunciamento em seu Instagram nesta terça-feira (22). Na mensagem, a cantora diz que o atual governo brasileiro não a representa, mas que isso será resolvido em 2022, nas próximas eleições.

"Meus zamuris, entendo o quão necessário é nesse momento não estabelecer dúvidas sobre o que acredito. Esse governo que aí está não me representa nem mesmo antes da ideia dele existir. E isso vamos resolver quando unirmos forças nas próximas eleições, através do poder do voto", escreveu.

De acordo com a baiana, o momento exige união e que cada um faça a sua parte para "driblar essa desorganização que são: o uso de máscaras, higienização, vacinas e o qe mais for necessário". Ao final, ainda afirmou ser a favor da "vacina para todos".

A cobrança do posicionamento político 

Ao lamentar a marca de 500 mil mortos em consequência do vírus no país, atingida no sábado (19), a cantora foi pontual em dizer que a questão não era sobre partidos políticos, e sim humanidade. 

Pouco tempo, o post provocou uma série de críticas de internautas e de famosos que, indiretamente e sem citar o nome da artista, responsabilizaram o presidente Jair Bolsonaro pelas mortes no Brasil. 

"É sobre fora, Bolsonaro, sim! A favor da democracia, da economia, da saúde, da educação, do senso coletivo", comentou Anitta. Felipe Neto, Daniela Mercury, Juliette Freire, Gil do Vigor, e Kerline também se manifestaram. Veja alguns posicionamentos:

Leia também