Julia Lund conta detalhes da sua estreia em 'Cara e Coragem'

Julia Lund chega na trama nesta quarta-feira, 22, interpretando a importantíssima delegada Marcela Alves

A delegada Marcela Alves, vivida pela atriz Julia Lund, promete reviravoltas em 'Cara e Coragem'.
A delegada Marcela Alves, vivida pela atriz Julia Lund, promete reviravoltas em 'Cara e Coragem'. - Crédito: Divulgação/Renato Pagliacci

por Caroline Ferreira
Publicado em 21/06/2022 às 15:45
Atualizado às 15:45

Facebook Famosos e CelebridadesPinterest Famosos e Celebridades

Tem rostinho novo na área! Nesta quarta-feira, 22, Julia Lund faz sua estreia em 'Cara e Coragem', da TV Globo. A carioca, que já esteve em novelas como 'A Dona do Pedaço', de Walcyr Carrasco e 'Pega Pega', de Claudia Souto, entra na trama interpretando a delegada Marcela Alves, personagem importantíssimo no desenrolar da história. 

Forte, firme, vibrante, honesta e muito proativa, Marcela assume a delegacia após a aposentadora do seu antecessor e será responsável por reabrir as investigações da morte de Clarice, vivida por Taís Araujo.

Delegada Marcela
Julia Lund como delegada Marcela Alves em 'Cara e Coragem', da TV Globo | Crédito: Divulgação 

Aproveitando o momento, o Famosos e Celebridades conversou com a Julia sobre o que o público pode esperar da personagem, como foi a preparação, inspirações e o retorno para os sets de filmagem nesse período de maior flexibilização diante do cenário da pandemia de Covid-19. Confira:

Julia, o que podemos esperar da delegada Marcela que entra em cena nesta semana?

Bom, a Marcela chega para assumir a delegacia, após a aposentadoria do delegado Peixoto, interpretado pelo grande Othon Bastos. Ela traz uma outra energia, estabelecendo uma nova dinâmica de funcionamento para delegacia, com vontade de fazer as investigações andarem, e isso inclui o “Caso da Lagoa” sobre a morte da Clarice Gusmão.

É ela quem vai reabrir o caso, após receber uma prova concreta de que a Clarice foi morta. Além disso, a Marcela vai ter que lidar com o investigador Paulo, que foi seu namorado no passado e que agora será seu subordinado. Eles têm uma relação de gato e rato, se implicam o tempo todo e vão viver isso no dia a dia da delegacia. Paulo traiu Marcela no passado e isso ficou marcado nela. Agora, sendo sua chefe, ela vai exigir a lealdade que ele não teve como parceiro amoroso. Mas nenhum dos dois consegue disfarçar que ainda existe algo entre eles. O investigador Jarbas, vivido pelo Sergio Kauffmann, completa o trio policial da novela.

Como foi a preparação para a personagem? Rolou alguma inspiração ou algum episódio especial?

Minha preparação se deu em dois níveis: intelectual e físico. Comecei com um mergulho no universo policial, vendo muitas séries e filmes como por exemplo “Mare of Easttown”, “Homeland”, “A Cop Movie”, “Brooklyn Nine-Nine”, entre outros, também comecei a seguir algumas delegadas nas redes sociais e a observar a forma como elas falavam em entrevistas, o tipo de conteúdo que postavam, tudo isso para, a partir de então, começar a mergulhar na construção da Marcela, sendo guiada pelo texto da Claudia Souto e pela preparação de atores da novela, feita pela Cris Moura e pela Isabela Secchin.

Mas para mim essa investigação e toda a criação da personagem só terminam com o fim do trabalho. Então durante toda a novela, quando não estou gravando eu estou sempre estudando, me aprofundando, experimentando novos caminhos para personagem. E para isso eu tenho contado com a parceria de uma grande amiga, também atriz, a Lisa Fávero. A gente se encontra com alguma frequência para passar texto, experimentar e ensaiar as cenas. 

Para a preparação física, algum tempo antes de começar a gravar eu comecei a fazer aulas de boxe, para ganhar uma prontidão e ao mesmo tempo uma força de ataque. Pesquisei também quais eram os testes de aptidões físicas (TAF) exigidos para as mulheres ingressarem na carreira de delegada, e comecei a tentar executar isso com o auxílio de um personal trainer. O mais difícil pra mim foi a barra fixa, que ainda sigo treinando.

Depois desse período de maior isolamento devido a pandemia de Covid-19, como foi retornar aos estúdios e sentir toda a energia dos sets e a troca diária com outros atores

Foi muito bom poder voltar a trabalhar e com a segurança que a vacina nos deu. Os atores são testados todos os dias antes de gravar, a Globo segue todos os protocolos de segurança. Eu tinha uma peça de teatro que iria estrear na semana em que tudo fechou em 2020, e nesses dois anos fiz apenas um trabalho online, criado por mim e pelo meu parceiro Luiz Felipe Reis. Fizemos um solo chamado “Tudo que brilha no escuro”, na sala de casa. Estava sentindo muita falta de poder jogar com outros atores.

Quando falamos de semelhanças, você e a delegada Marcela têm algo em comum? Ou, você aderiu alguma característica pessoal à personagem? Se sim, qual?

Eu acho que a Marcela é feminista e nisso ela é igual a mim. É uma mulher ocupando um cargo que historicamente sempre foi mais ocupado por homens. Então, acho que ela sabe o que teve que passar para provar que estava à altura do cargo. Acho que ela traz uma sensibilidade, uma escuta ativa e usa sua intuição pra investigar os casos e comandar a delegacia. Essas características eu vejo muito em mim também.

Por fim, a gente percebe um aumento muito grande de jovens acompanhando as novelas, especialmente no Twitter, onde as tramas e cenas costumam viralizar. Como você acha que essa mudança de público aconteceu?

Com certeza a pandemia colaborou para esse processo de acelerar e tornar as nossas relações mais virtuais que nunca. Se antes a gente se ligava para conversar e fofocar sobre uma novela, agora basta um tweet com # pra você entrar num papo. Eu gosto de acompanhar a reação das pessoas em tempo real, no momento que a novela está no ar.

E aproveitando que estamos falando de redes sociais, como é a sua relação com a internet? Costuma compartilhar tudo, dividir os sentimentos e interagir bastante com os seguidores ou prefere uma vida mais low profile?

Sou mais low profile, mas tentando interagir um pouco mais com quem me segue. Entendo as redes sociais com uma certa extensão do meu trabalho. Sei que muita gente que não me conhece vai entrar no meu Instagram para saber quem eu sou. O que me dá uma certa aflição porque sabemos que esse espaço não dá conta de dizer quem uma pessoa é. Mas tento compartilhar coisas que realmente fazem parte da minha vida e também gosto muito de falar sobre arte, trocar dicas de filmes, livros e peças de teatro. Esse ano vocês vão me ver mais ativa nas redes.

Mais projetos pelo caminho!

E já anota aí, Julia já está em preparando projetos e novidades para o segundo semestre de 2022 e para o próximo ano também. No dia 2 de março, ela estreia o espetáculo 'Vista', no Rio de Janeiro. Com direção de Luiz Felipe Reis, o solo é baseado no romance best-seller "Vista Chinesa" de Tatiana Salém Levy.  

Leia também