Bianca Andrade revela com quem fez ménage na 'Farofa da Gkay'

Convidada do 'PocCast', a empresária também comentou sobre o consumo de álcool após o BBB20

Bianca Andrade abre o jogo sobre ménage na 'Farofa da Gkay'.
Bianca Andrade abre o jogo sobre ménage na 'Farofa da Gkay'. - Crédito: Instagram/@bianca

por Caroline Ferreira
Publicado em 21/06/2022 às 12:15
Atualizado às 12:15

Facebook Famosos e CelebridadesPinterest Famosos e Celebridades

Senta que lá vem história! Convidada do 'PocCast' desta segunda-feira, 20, Bianca Andrade abriu o jogo sobre uma polêmica que rolou na primeira edição da 'Farofa da Gkay'

Em conversa com Lucas Guedes e Rafael Uccman, ela ainda aproveitou o momento para comentar que precisou de terapia para tratar o consumo de álcool após sua participação no BBB20.

Farofa da Gkay

Lá em 2018, a web bombou com os rumores de que duas influenciadoras teriam participado de um ménage, ou seja, sexo a três. Mesmo com os boatos de que os envolvidos eram Bianca, Marina Ferrari e Gabriel Roncatti, namorado de Marina na época, nenhum deles havia se manifestado até então.

"Foi de lá que saiu aquele 'kikiki' que a Bianca ficou com aquele casal. Ficou só no beijo?", questionou Rafa. "Não, teve mais que isso", garantiu a empresária. "Eu nunca falei abertamente e não lembro. Só lembro da Marina, graças a Deus, maravilhosa. Mas as pessoas souberam, né?", afirmou.

BBB20 e o consumo de álcool

Em outro momento da entrevista, Bia falou sobre os prós e contras de sua participação no reality show da TV Globo. "Quando entrei no BBB, as pessoas tinham o estereótipo que sou arrogante, metida e nem sei se era mesmo, mas era o que sentia. Não, eu não tenho frescura. Sou uma menina vinda da favela. Queria mostrar essa Bianca", disse.

"Ao longo prazo valeu a pena, porque me conheceram como um todo. Eu saí vendendo três vezes mais minha linha de pele por conta do choro. Foi difícil lidar com todo o mundo pós-programa, mas ao mesmo tempo disse que ia vender esse número", acrescentou.

No entanto, mesmo diante dos benefícios, ela percebeu - ainda no confinamento - que a beebida estava afetando sua vida e que sempre esteve ciente de que o álcool poderia ser o motivo de sua eliminação. "Eu sabia. Eu sabia que era pela bebida em excesso. Eu nunca tinha me visto bêbada do jeito que eu ficava na época. Eu não sabia que era assim", explicou.

"Quando eu saí, minha mãe falou: 'Filha, por favor, vai se cuidar. Vamos na terapia, vamos entender. Minha terapeuta explicou que tem pessoas que quando bebem, realmente viram uma chavinha, por isso não lembram no dia seguinte o que acontece. Eu consegui resolver isso na minha vida com a estratégida da minha terapeuta", continuou.

"Agora, consigo beber socialmente com meus amigos. Me divertir, sem me arrepender de nada no dia seguinte e lembro de tudo", admitiu.

Assista:

Leia também