Conheça Laurene Santos, a repórter atacada por Jair Bolsonaro

O Presidente se irritou ao ser questionado sobre o uso obrigatório de máscaras na pandemia

Nas redes sociais, Laurene recebeu diversos comentários em seu apoio.
Nas redes sociais, Laurene recebeu diversos comentários em seu apoio. - Instagram: @laurenesantos

por Redação/FC
Publicado em 22/06/2021 às 09:21
Atualizado às 09:21

COMPARTILHEFacebook Famosos e CelebridadesPinterest Famosos e Celebridades

Em passagem a Guaratinguetá, interior de São Paulo nesta segunda-feira (21), o presidente Jair Bolsonaro se irritou com as perguntas de Laurene Santos, jornalista da TV Vanguarda, afiliada da Globo. 

Jair Bolsonaro
Presidente se irritou ao ser questionado sobre o não uso da máscara de proteção. Crédito: Twitter/Reprodução

Questionado sobre o não uso de máscara quando chegou para cumprir sua agenda, ele respondeu: "Para de tocar no assunto. Você quer botar... Me botem. Vai botar agora? Estou sem máscara em Guaratinguetá. Está feliz agora? Você está feliz agora? Essa Globo é uma m.... de imprensa! Vocês são uma porcaria de imprensa! Cala a boca!", disse.

De acordo com o portal UOL, a jornalista é formada na Universidade de Taubaté, cidade onde mora, tem 27 nos e trabalha há três na afiliada da Rede Globo no Vale do Paraíba (SP) e região. Em passagem pela Band, ela foi produtora e editora por mais de quatro anos. Além disso, também possui MBA em gerência empresarial, com foco em recursos humanos. 

Laurene Santos
Há três anos Laurene trabalha na TV Vanguarda. Crédito: Instagram/@laurenesantos

Famosos e colegas de profissão se solidarizam 

A apresentadora do "Roda Viva" da TV Cultura, Vera Magalhães, se manifestou após a situação: "Sua altivez, sua coragem e sua calma fazem a diferença e ajudam a ilumir o momento histórico grave que vivemos. Força e continue sempre em frente. Viva o jornalismo. Vamos juntas!".

Já Renata Lo Prete, âncora do "Jornal da Globo", postou em seu twitter: "Minha solidariedade à repórter Laurene Santos. Que profissionalismo, que senso de missão, que contraste com a indignidade diante do microfone".

Luciano Huck chamou o ocorrido de "covardia". "Toda minha solidariedade à repórter Laurene Santos. A jornalista foi atacada ao fazer perguntas pertinentes. Rodeado de bajuladores, o presidente se sentiu à vontade pra humilhar uma mulher que apenas cumpria seu dever profissional de informar. Covardia total". 

A Globo e a TV Vanguarda emitiram uma nota de repúdio a Jair Bolsonaro e em apoio a Laurene:

"O presidente Jair Bolsonaro falou hoje sobre a marca de 500 mil mortos por COVID no Brasil alcançada no sábado. Foi em viagem a Guaratinguetá, interior de São Paulo, durante conversa com jornalistas que o questionaram se gostaria de dizer alguma palavra sobre as mortes. Bolsonaro disse que lamenta todos os óbitos e em seguida voltou a defender o uso de medicamentos ineficazes contra a COVID.

Na mesma entrevista, o presidente destratou a repórter Laurene Santos, da TV Vanguarda, afiliada da Globo. Laurene perguntou por que ele tinha chegado à cidade sem máscara mesmo tendo sido multado recentemente em São Paulo por não usar a proteção. Bolsonaro disse “eu chego como eu quiser, onde eu quiser, eu cuido da minha vida”. Em seguida, tirou novamente a máscara. A repórter tentou explicar que o uso da máscara é exigência de lei. Mas o presidente mandou a repórter calar a boca e insultou a Globo com palavrões.

A Globo e a TV Vanguarda repudiam o tratamento dado pelo presidente à repórter Laurene Santos, que cumpria apenas o seu dever profissional. Não será com gritos nem intolerância que o presidente impedirá ou inibirá o trabalho da imprensa no Brasil. Esta, ao contrário dele, seguirá cumprindo o seu papel com serenidade. À Laurene Santos, a irrestrita solidariedade da Globo e da TV Vanguarda".

Leia também