Amber Heard, Johnny Depp e a polêmica de agressão sexual

Após término do casamento, os atores se enfrentam na justiça com diversas denúncias

Amber Heard acusa Johnny Depp de agressão sexual.
Amber Heard acusa Johnny Depp de agressão sexual. - Crédito: Shutterstock

por Caroline Ferreira
Publicado em 13/04/2022 às 15:15
Atualizado às 15:15

Facebook Famosos e CelebridadesPinterest Famosos e Celebridades

Alerta de polêmica no ar! Começou nesta segunda-feira, 11, o processo de julgamento oficial entre Amber Heard e Johnny Depp, na Virginia, Estados Unidos. Segundo o The New York Times, a ação deve durar seis semanas, no Tribunal de Circuito do Condado de Fairfaz. Desta vez, além das denúncias de agressão e difamação, Amber também acusa o ator de violência sexual.

Mas o que aconteceu?

Bom, se você não acompanha essa história, o Famosos e Celebridades te conta todos os detalhes. Os dois se conheceram nos bastidores de "O Diário de um Jornalista Bêbado" e, logo no início de 2012, começaram a namorar. Três anos mais tarde, se casaram e, pouco mais de dois anos depois, acabaram colocando um ponto final na relação.

Acontece que, além de solicitar o divórcio, a atriz também pediu uma medida protetiva contra o ator após aparecer com o rosto machucado. Na ocasião, ela alegou que Johnny a "atacou violentamente", além de ter jogado um telefone em seu rosto com "força extrema". O ator negou todas as acusações.

Faltando poucos dias para o julgamento, o ex-casal publicou uma nota alegando que a situação estava resolvida. "Nosso relacionamento foi intensamente passional e, às vezes, volátil, mas sempre baseado no amor. Nenhuma das partes fez acusações falsas por ganhos financeiros. Nunca houve intenção de dano físico ou emocional", declararam.

Já em 2018, o assunto voltou a ganhar destaque na mídia quando Amber publicou uma nota no The Washington Post compartilhando uma experiência de violência doméstica. Mesmo sem mencionar o nome de Johnny, afirmou que percebeu como os homens, acusados de abusos, são protegidos. 

Não demorou muito para que ele abrisse uma nova ação contra a ex, desta vez por difamação. "A implicação clara do editorial de que Depp é um agressor doméstico é categoricamente e comprovadamente falsa. Suas alegações são parte de uma farsa elaborada para gerar publicidade positiva para a Sra. Heard e promover sua carreira", escreveu o advogado do ator. 

Agressão sexual

Nesta terça-feira, 12, logo após o início do julgamento, Amber incluiu uma nova acusação ao processo, alegando agressão sexual. Segundo a Rolling Stone, os advogados da atriz alegaram que em um momento de embriaguez, Johnny teria abusado e agredido sexualmente dela. 

"Ele a colocou contra o bar. Ele atirou garrafas e garrafas nela. Ele a arrastou pelo chão sobre as garrafas quebradas. Ele deu um soco nela. Ele a chutou. Ele disse a ela que iria matá-la, e ele a odeia. Ele estava batendo nela. E então, ele a penetra com uma garrafa de bebida", afirmou Elaine Bredehoft, advogada de Amber.

Advogada de Depp rebate acusações

Camille Vasquez, que assumiu o caso, rebateu a acusação e disse que: “Isso nunca fez parte de suas alegações de abuso em 2016. Então, o que mudou? Quando ela percebeu a gravidade do que alegou, entrou em pânico e alegou agressão sexual. Nos 58 anos do Sr. Depp, nenhuma mulher jamais o acusou de violência”.

Julgamento

Nas redes sociais, o assunto está repercutindo. Fãs estão usando a hastag "Justiça Para Johnny Depp" em apoio ao ator. Enquanto isso, a advogada de Amber afirmou que as pessoas irão conhecê-lo de verdade, para além de tapetes vermelhos, fama e dinheiro. 

Leia também