Mario Frias nega ser racista após dizer que ativista negro precisava de "um bom banho"

Com repercussão negativa do comentário, o atual secretário especial de Cultura se manifestou no Twitter

No Twitter, Mario disse que sempre repudiou o racismo.
No Twitter, Mario disse que sempre repudiou o racismo. - Montagem/FC/Instagram

por Redação/FC
Publicado em 15/07/2021 às 15:44
Atualizado às 15:44

COMPARTILHEFacebook Famosos e CelebridadesPinterest Famosos e Celebridades

Mario Frias, atual secretário especial de Cultura, respondeu a uma publicação no Twitter, nesta quinta-feira (15), dizendo que o historiador negro Jones Manoel "precisa de um bom banho".

A fala aconteceu após o jovem, filiado ao PCB (Partido Comunista Brasileiro) usar as redes sociais para dizer que "já tinha comprado fogos" com a notícia de que o presidente Jair Bolsonaro seria transferido do Distrito Federal para São Paulo. 

O tweet foi publicado por Tercio Arnaud Tomaz, assessor da Presidência, que compartilhou a notícia dada pelo site "Brasil 247" e questionou quem era Jones Monel que acumula mais de 130 mil seguidores nas redes sociais e um canal no YouTube com 165 mil inscritos, onde fala sobre história. 

Mario Frias
No Twitter, internautas criticaram a fala de Mario. Crédito: Twitter/@terciotomaz 

Repercussão

Na sequência, diversos nomes se posicionaram contra a fala racista de Mario Frias. "Mais um dia comum no país em que os funcionários públicos deste governo se julgam no direito de ofender o povo. O problema de hoje é que racismo é crime @mrfriasoficial", escreveu Bruno Gagliasso.  "Quem não te conhece que te compre garoto. Bju", respondeu o ex-ator. 

Após a repercussão negativa, Frias voltou a usar as redes sociais para se justificar e dizer que era racista. "Não venham tentar ofuscar a gravidade dos ataques ao presidente chamando de racista quem sempre repudiou o racismo", finalizou. 

Leia também