Connect with us

O que você está procurando?

Famosos de A a Z

Virgínia batiza filhas e é criticada por festa ter bebida e funk

Filhas de Virgínia e Zé Felipe foram batizadas no final de semana. Estilo musical e bebedeira fizeram internautas tecer críticas ao casal

zé-felipe-virgínia-batizado-filhas
Virgínia e Zé Felipe comemoraram o batizado das filhas no domingo (05) - Foto: Reprodução Instagram/@zefelipecantor @virginia

Virgínia Fonseca e Zé Felipe batizaram suas filhas Maria Flor e Maria Alice, no domingo (05). Mas o evento acabou virando alvo de críticas dos internautas, porque o casal celebrou o momento com amigos e familiares ao som de muito funk e com álcool à vontade para os convidados. 

No feed, o casal fez uma postagem juntos onde aparecem de branco juntos com as filhas, uma decoração atrás repleta de flores, com a legenda “Batizado das Marias”. Mas nos stories, os internautas julgaram que o ambiente não estava legal para as crianças. 

“Batizado? Isso foi tudo menos um batizado”, comentou um seguidor. “A festa de batizado com docinho, com a imagem do Espírito Santo e termina com DJ, funk e bebida”, reprovou outro. “Achei um horror essa festa de batizado… Receberam o Espírito Santo e depois fizeram uma festa regada de luxúria (pecado capital), com cerveja, danças obscenas, músicas com apelo sexual”, reclamou mais um seguidor. “Do que adianta batizar, por tradição e não por definição?”, criticou a atitude de Virgínia e Zé Felipe. 

Mas também houveram pessoas que saíram em defesa do casal.  “Engraçado, né? Pobre pode batizar seu filho, chegar em casa e fazer um churrasco, chamar os amigos para beber … Agora o rico, que tem a vida pública, não pode porque é pecado, é exagero fazer festão”, defendeu o perfil. 

Advertisement

Você também vai gostar

BBB

Em 2023, médica levou para casa o maior prêmio da história do reality

Famosos de A a Z

Gisele Bündchen revelou que o seu truque está relacionado as fases da lua

BBB

BBB 24 vai coroar o grande vencedor na próxima terça-feira (16)

Notícias

Emicida foi citado durante uma discussão entre um ministro e o presidente da Câmara